Escritora Vera Salbego

Poesia e Contos , Crônicas

Textos

A AVENTURA DO TIO FRANCISCO



         Era uma vez, numa pacata cidadezinha perdida no meio das montanhas, com apenas 500 habitantes.  Pessoas simples, de hábitos rústicos.
         Vivem felizes, da Pecuária e Agricultura.  Lá existem poucas lojas, para dizer apenas um mercado, uma loja de vestuário, e uma farmácia.  Este é o comércio do local.
         Os moradores se conhecem, e vivem tranquilamente, deixando suas casas e carros abertos, pois não existe violência.  Existe honestidade naquele local.
        Numa fazendinha próxima da cidade vive um homem sozinho e sempre bem humorado, que todos respeitam e admiram. Tio Francisco era amado pelas crianças e adultos daquela localidade, que o chamavam assim num tom bem familiar, por considerá-lo como membro da família, pela simpatia.
         Em sua fazenda havia uma pequena floresta de árvores nativas, e uma cachoeira.
         Ele contava várias histórias, que aconteciam por ali, como a do Lobisomem e da mula sem cabeça, mas a população não acreditava, apenas ria.
         Certo dia, um grupo de alunos da Escola da cidade vieram juntamente com a professora de ciências, para visitarem a floresta, e estudarem as plantas, que existiam ali.
         Os alunos e a professora, radiantes estavam ao entrar entre as árvores juntamente com Tio Francisco, para o passeio.
         Foram caminhando e entrando naquele vasto paraíso da natureza notando assim a beleza das árvores, e dos animais, muitos deles raros.
         Iam à frente à professora e Tio Francisco explicando sobre a fauna e flora daquela região.
         Os estudantes entusiasmados vão adentrando a floresta e sentindo os aromas da mata e vendo o colorido das flores.
         De repente se deparam com seres de outro mundo (duendes: seres pequenos que só fazem o bem) e ficam boquiabertos com aquela situação.  Ficam perplexos com a situação.  E correm entre as árvores vendo aqueles seres pequenos e risonhos que estão por ali.
         Tentam se comunicar, mas não conseguem, até que Tio Francisco intervém, para alivio dos alunos.
         Tio Francisco parece falar com aqueles seres e sentem que há cumplicidade entre eles.
         - Crianças, vocês não podem espalhar na cidade sobre nossos amiguinhos, porque eles precisam de paz e harmonia para viver.
         As crianças excitadas ficam paradas vendo Tio Francisco conversando numa língua diferente com aqueles seres iluminados. Eles não entendiam, mas percebiam que a comunicação estava fluindo bem.
         Eles sentem um grande carinho que emana dos duendes e percebem o valor desse afeto para a natureza. Os duendes unem as mãos e irradiam um facho de luz azul em direção as plantas doentes, que aos poucos iam se revigorando.
         A professora e os alunos sensibilizados com todo aquele amor pela natureza resolveram se comprometer mais na recuperação das plantas, e cuidarem da natureza.
         Assim sendo voltaram, para a escola, e criaram um Projeto de Preservação da Natureza e todos se comprometeram a ajudar e também a guardar o segredo sobre os duendes.
         A história termina com o segredo preservado, e Tio Francisco e a população do lugar vivendo felizes para sempre.  

Vera Salbego


INTERPRETAÇÃO
Marque a resposta correta com um X.
1. No inicio do Conto percebemos que o texto acontece

a.Numa cidade grande e poluída.

b. Numa pacata cidade do interior.



2. De que viviam as pessoas daquele lugar

a. De pesca e de música.

b. Da Pecuária e Agricultura.


3. Que fatos aconteceram no conto ‘A AVENTURA DO TIO FRANCISCO”?





4. Nesse conto o narrador é personagem ou observador?





5. O conto tem final feliz? Por quê?





6. O que achaste desse conto, deixa sua opinião?


7.Dê outro final ao conto:




VeraSalbego
Enviado por VeraSalbego em 02/04/2011
Copyright © 2011. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.


Comentários



Site do Escritor criado por Recanto das Letras