Escritora Vera Salbego

Poesia e Contos , Crônicas

Textos

AMOR REAL
AMOR REAL


No interior do Rio Grande do Sul, precisamente em Alegrete, havia duas adolescentes que começavam a frequentar a casa uma da outra, pois se conheciam desde a Escola Primária.
Luiza e Bia passeavam juntas e, como moravam no interior, não tinham muitas opção de passeios, então iam aos parques e cinemas. As duas gostavam de estar juntas.
Os dias iam passando e a vida também. Luiza tinha uma cachorrinha e gostava muito dela. Iam ao parque e caminhavam pelas largas avenidas daquele belo lugar. Durante o passeio, as amigas conversavam muito sobre vários assuntos e percebiam a afinidade que tinham uma com a outra.
Passados os dias, aparece um rapaz loiro chamado Paulo, de olhos claros querendo namorar Luiza.
Luiza ainda não tinha decidido ter namorado e foi levando Paulo até onde pôde.
Até que um dia chegando a sua casa, vê que alguém esta falando com seus pais. Era Paulo! Estava pedindo permissão para namorar com ela. Luiza ficou quieta, pensativa e percebeu que estava entrando num beco sem saída. Embora não soubesse por que, sentia-se dessa maneira.
Os dias foram passando e Paulo começa a frequentar sua casa. Suas longas conversas com Bia vão ficando raras.
Luiza percebe que não gosta das carícias de Paulo, mas não tem coragem de falar para ele. Paulo cada dia mais apaixonado, não percebe a frieza da namorada Luiza. Confusa com suas ideias, ela fica quieta pensando em sua vida e percebe que nos seus pensamentos sempre vem a imagem de sua amiga.
Bia estranha a ausência de sua amiga e fica caminhando sozinha pelas ruas de Alegrete. Certo dia vai a um rodeio e encontra Luiza e Paulo. Vai ao seu encontro, cumprimenta os dois e ficam ali conversando. Percebe que Luiza não para de olhar para ela profundamente e nota que fica corada com essa situação.
Bia se envolve com seus eventos na escola e percebe que sente a falta de sua amiga, que hoje já não fica como antes depois do horário, para ajudar nas tarefas da aula.
Meses se passaram e as duas só se viam na escola. Não mais saíam.
Cada dia que passa Luiza sente uma tristeza enorme, que invade sua alma.
Paulo entusiasmado com a beleza de Luiza resolve pedi-la em casamento e vai até sua casa. Lá chegando Luiza o recebe com o mesmo sorriso. Ele cheio de amor a pede em casamento querendo marcar para breve o enlace matrimonial.
Luiza reflete sobre o pedido de casamento e pede que ele espere a resposta. Nota que não está feliz com essa situação, pois não deixa de pensar em Bia. Resolve ir à casa dela.
Vai rápido e, chegando lá, encontra Bia dormindo. Fica admirando aquele corpo maravilhoso, aqueles cabelos longos e sedosos e um carinho todo especial começa a vir à tona. Sente no ar o perfume de sua amiga que inebria seus sentidos. Fica ali contemplando. Quando Bia acorda, vê sua amiga ali perto, com cara de felicidade.
Sorri para sua amiga e pergunta:
- O que tu estás fazendo por aqui, sua desaparecida?
Luiza não responde, pega sua amiga e lhe dá um beijo demorado sentindo que é correspondida. Ficam ali abraçadas, fazendo carinhos uma na outra sem se dizerem nada.
As horas passam e não percebem, pois estão tão felizes que parecem ouvir violinos em sua volta.
Luiza, então, desvenda o mistério que sentia, pois pensava muito em sua amiga. Só não sabia que estava dentro do seu coração um carinho todo especial por Bia. As duas ficam conversando sobre o assunto. Luiza está feliz com sua amiga, ainda mais que Bia corresponde ao seu amor. Ela confessa que já gostava de Luiza, mas não tinha coragem de confessar esse amor por ela, ainda mais que a outra estava namorando, então procurou ficar quietinha, na dela, sofrendo calada.
Luiza então diz que vai contar ao Paulo que não o ama, pois está apaixonada por sua amiga.
Volta para sua casa e o encontra falando com seus pais. Respira fundo e diz a Paulo que quer lhe falar.
Os dois vão para a varanda e Luiza conta o ocorrido. Paulo, agora triste com a situação, comenta que tinha notado a frieza de sua namorada. Despedem-se e ele parte triste, não retornando mais à casa dela.
A noite chega e seus pais querem saber o que houve com eles. Luiza então os encara e diz a verdade:
- Estou apaixonada por Bia e ela também me ama. Estamos felizes.
Seus pais a olham e dizem:
- Filha, não é fácil esse sentimento que está sentindo por sua amiga. Mas se você é feliz nós a apoiamos, porque a amamos, e será sempre a nossa menina.
Os três se abraçam felizes.
Luiza corre e liga para Bia contando sobre o que havia acontecido e que contou também para sua família.
Marcam um encontro ao luar.
Chegando lá, as duas se abraçam e se beijam livremente selando assim o amor das duas!


Nota - Qualquer semelhança com nomes e acontecimentos, terá sido mera
coincidência. Não são fatos reais.
VERA SALBEGO







VeraSalbego
Enviado por VeraSalbego em 26/03/2014


Comentários



Site do Escritor criado por Recanto das Letras